O que eu poderia falar

Eu poderia falar das noites em que beiro  a loucura, mas falarei da falta, da saudade do que não  se vive mais, sim é possível sentirmos saudades do que não houve tempo pra viver, mas mesmo quando me sinto bussola sem norte perdida em minha sorte, quando me olho no espelho e já não me identifico mais, percebo que não importa o tempo que passar você sempre estará na minha identidade, e tentarei nos filhos que futuramente terei, achar vestígios de você. olhos, boca, mãos, pé e o cabelo no qual me perdia a desejar.

    Eu já quis ser você, quis te entender e poderia perder a vontade de viver, mas prefiro ter em mente que quanto mais vivo mais sinais teus acho em mim, nas minhas canções você ainda está. não há dor, sei que está em um lugar melhor e bem lá no fundo, quando não admito, sou feliz por saber que está nos braços de um Deus que te Criou pra ser meu... meu coração tem paz na maior parte dos dias, coisas tolas me lembram você, teu sorriso vem me lembrar de viver.

Eu poderia falar da partida rápida, precoce, inesperada, mas encho a boca para falar do menino incrível que era, sempre pronto  ajudar, sempre pronto pra qualquer festa, sempre arteiro, abrirei minha boca para falar das suas peraltices, de como colocava fogo em tudo que via, do quanto vivia machucado e do quando não ligava para isso, cicatrizes sempre foram testemunhos expostos não é mesmo?

    Hoje  encontrei tua foto em minhas coisas, sempre os mesmos olhos, mesmo sorriso, mas eras tão pequeno e eu até poderia falar da ilusão dos dias em que eu me pego esperando o teu dedo no meu nariz ou dos que paro e procuro o em meio a todos os outros barulhos, tua respiração ou o motor de sua moto barulhenta guerreira... e não é que tudo em sua vida se tratou de uma guerra, entre ser e viver, entre o que o povo falava e o que  só você sabia...

     Sim eu também poderia falar do quanto faz falta, do quanto a vida é meio incompleta sem você, ou da sua desorganização, eu poderia falar do quando te perder foi o dia mais cinza da minha vida, do quanto o frio na barriga e a ansiedade a cada festa na cidade faz falta, poderia parecer triste, sim poderia dizer que tudo é meio vermelho sem você, mas prefiro lembrar-me a cada madrugada de como te ter por 22 anos foi como dirigir um Massarati em alta velocidade , em plena contra mão, eu poderia parar, mas você ter me ensinado que AMANHÃ É OUTRO DIA TORNA CADA COISA AQUI MAIS INTENSA,
POIS EU ENTENDI QUE POSSO DIZER QUE AMAR VOCÊ É AZUL VIVO, EM NUANCES INFINITAS, não trocaria seus 22 anos por uma vida sem sua existência...
 E eu poderia falar da dor de em vão te esperar, MAS APRENDI QUE SOU FORTE PRA LUTAR!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aprendendo com o Isaque, que daqui só se leva o amor...

CARTA PARA MINHA AMIGA

o Isaque nasceu!