sábado, 29 de agosto de 2015

O COMEÇO DO ADEUS....

Aprendi com 2.4 que não preciso necessariamente ser um gênio para entender a frase de Millôr Fernandes que diz “Qualquer idiota consegue ser jovem, é preciso muito talento para envelhecer. ” Sim é preciso talento para amadurecer à medida que envelhece, essa frase se torna cada vez mais verdadeira a medida que vivo, envelhecer traz consigo lições que carregaremos para vida inteirinha. O bom é que o tempo não volta, e as dores passadas te preparam para as futuras...
                Meus 24 anos foram dias de perdas irreparáveis, perdas que mudaram quem eu costumava ser, que mudou meu ritmo, minha frequência, me ensinou a depender literalmente de Deus. Meus 24 anos já começou intragável, acordei uma madrugada com a notícia de um grave acidente com meu irmão, amanheci o dia arrumando as coisas para o reconhecer em um IML (Instituto Médico Legal), arrumei forças de não sei onde no momento de olhar para ele sem vida. E no mesmo momento em que disse ao médico legista “–Sim é Ele! ” Perdi o chão sobre meus pés me faltou ar pra respirar, passei horas de uma angustia tamanha que nunca terei palavras que mensurem o que senti, o vazio, a perda, a revolta, a angustia, a dor, o medo, a incerteza do que viria, de como seria. Meu irmão... o único, tinha feito 22 anos em uma sexta para perder a vida dois dias depois, simples assim amanheci no domingo e de repente tinha me tornado filha única, e seria um longo caminho desde então...
Foram dias de ver de pertinho duas verdades 1 EU SERIA AMPARADA, CUIDADA E AMADA POR DEUS E POR ALGUNS AMIGOS E 2 EU ME DECEPCIONARIA COM ALGUNS QUE PENSEI SEREREM MEUS AMIGOS... Recebi abraços silenciosos, mas que para mim disseram tanto e que se tornaram tudo o que preciso e procuro hoje quando tenho medo, alguém segurou minha mão o tempo todo da minha angustia, enquanto eu estava lá imóvel e sem reação, ela me botou pra dormir e ficou lá até se certificar de que eu estava mesmo dormindo...  E pude então entender que eu teria sempre apoio, entendi que quando você é amada por alguém ela se levanta da sua cama as 3 da manhã pra te ajudar, FAZ QUESTÃO DE SER ELA A PESSOA A TE DAR A PIOR NOTICIA DA SUA vida e não te larga mais, e te liga a cada meia hora com um “ amiga você já comeu? O que comeu? Quanto comeu? ”, “Amiga já conseguiu dormir um pouquinho? Dorme um pouquinho você ainda tem uma longa batalha pela frente! ”, “ Amiga você tá tomando agua? ”. Mas também notei que existem pessoas que só estarão ao meu lado quando elas precisarem, mas vão sumir quando eu precisar, as ligações de horas darão lugar ao “DEIXE SEU RECADO APÓS O SINAL...”
O coração do meu irmão havia se silenciado, sofri muito, por vezes calada, não dormi por muitas vezes, em outras noites ACORDEI CAMINHANDO PELA CASA PROCURANDO ALGUÉM QUE JÁ NÃO ESTAVA MAIS ALI, mas o cheiro, a voz ainda estava. E até hoje a casa e os móveis ainda exalam a  sua presença, chorei sozinha e me senti completamente sozinha nessas noites de choro em claro e procura em vão, mas vi JESUS CAMINHAR COMIGO e consolar meu coração cada uma das vezes que a dor, a raiva, a ira, o medo, a revolta, a incerteza, a ausência e  todo o misto de sentimentos invadiam minha mente, desejei por vezes esfriar a cabeça em uma montanha de neve, mas duas crianças lindas  se encarregaram de me fazer esfriar a cabeça e sorrir , me sentia e  me sinto curada cada vez que ouço de um anjo de olhos azuis me chamar de TITIA VENESSA! Isaque, como seu próprio nome diz, por vezes me encheu de riso quando não havia motivo para meu riso,   e cada vez que um par de olhos verdes com nome de profeta me olhava e sorria, meu coração se aquecia, sim o Davi é pequeno e não sabe falar, mas ele fala tanto ao meu coração a cada palavra que ele ainda não sabe dizer, sim perdi um irmão mas descobri que amigos são irmãos que escolhemos e que te empresta os filhos e te faz tia e nada nem ninguém pode dizer o contrário, então só fui TIA na minha dor e meus sobrinhos me tiravam dela e eu voltava a sorrir...  E quando meus 24 pareciam ser compreensível aos meus olhos, me vi tento que entrar de férias forçadas e não planejadas, entrando em um ônibus sozinha e com medo durante toda a madrugada para ir ver minha vó, e novamente me vi caminhando sobre o vale da sombra da morte, mas mesmo em meio ao vale da sombra da morte quando o câncer da minha vó vencia a batalha eu arranquei dela risos, segurei suas mãos minutos antes e orei com ela, com uma força e calmaria sobre-humana então a vi parti...
Hoje os 24 se preparam para seus minutos finais, e eu olho para tudo que me sobreveio e a única coisa que sei é que aprendi enfim APRENDI A FAZER DOS LIMÕES BOAS LIMONADAS, hoje sei que as pessoas simplesmente vão embora da minha vida quando querem ou quando chega a horas delas irem, é a vida! E sim vai doer muito mas isso me leva a um próximo item, TODA DOR POR PIOR QUE SEJA também vai embora, mas isso me leva a uma conclusão mais linda que a anterior:  CERTOS AMORES PODEM DURAR PRA SEMPRE MESMO QUE ELES ACABEM, ENQUANTO OUTROS DURAM UMA NOITE APENAS MAS SE TORNAM INCRIVEIS NA MESMA MEDIDA, E TUDO É DEFINIDO PELO TANTO QUE ME ENTREGO E RECEBO DESSES AMORES. Aprendi com 24 que ter um diploma não é garantia de nada, nem do meu futuro, nem mesmo que eu vá seguir a carreira que o diploma me assegura, aprendi que o autoconhecimento é uma das coisas mais importantes que posso adquirir, logo sou eu quem escrevo e escolho meu destino

Logo mais terei 25 e de todo medo que isso me dá, também existe uma parte de mim empolgada com o futuro, meus amigos são sim minha nova família e farão parte de todo os grandes momentos da minha vida, e no final não existe sensação melhor do que envelhecer sabendo que estou buscando minha felicidade e de quem amo. Eu teria muitos motivos para reclamar, mas aprendi que murmuração só nos atrasa. Já um coração grato é capaz de alimentar a alma mais ferida. Por isso, obrigada, meu Deus! Foi um ano diferente de tudo que planejei, mas era exatamente do que eu precisava. Por isso dou graças. Que venha meus 25 anos.

domingo, 9 de agosto de 2015

Preciso e mereço alguém que some e não suma



O tempo passa e cada vez mais estou certa do que eu quero e arrisco dizer que estou certa do que mereço, dizem que a idade nos deixa mais exigente, principalmente nós mulheres, eu discordo e ouso afirmar que ela, a idade apenas traz consigo certezas. E hoje, hoje eu sei que mereço alguém que não me dê muitas alternativas, minha indecisão não merece alguém que não saiba o que quer, eu mereço certezas, mereço alguém que tenha em mente os lugares em que quer me levar, sem ter que ouvir sempre:

-AMOR ONDE VOCÊ QUER IR HOJE?
 Preciso ouvir: 
-PENSEI EM TE LEVAR A TAL LUGAR O QUE ACHA?

       Preciso de diálogo, pois existe dias em que meu corpo pede colo e não sexo, em dias assim preciso de pijama e filme, bem mais que me sentir sexualmente desejada, é nestes dias que minha sinceridade, grita, pede, merece e exige alguém que seja tão sincero quanto eu, alguém que seja inteiro e sem limites, pois sou composta de extremos e urgências, então mereço alguém que se entregue por inteiro e esteja comigo sem reservas, dias ou horas marcadas, não sou mulher de desejar metades, nem mesmo de laranja, pois sei que vou querer e precisar de mais que uns amassos de vez enquanto, e entendi rápido com minhas meias relações  que não conseguirei extrair o mais que busco de relações meia boca. 

  Mereço alguém que me reserve o olhar, o tempo, o melhor sorriso, o abraço a vida, alguém que aceite minha rotina e minha mente por vezes tão bagunçada, alguém que aceite que os filhos das minhas amigas são sobrinhos, logo entenda minha necessidade de estar perto deles.
Mereço alguém que não me abandone no meio de uma conversa, mas que permaneça e me olhe nos olhos até que eu perceba que é hora de encerrar o assunto, mereço alguém que se abra comigo e me diga o que pensa, sem medo de começar uma briga, discutir afia as diferenças, e sempre chegará a hora boa de fazer as pazes.

  Mereço alguém ciente de que amar não é obrigação tão pouco prisão ou mesmo exigência, amar é prazer libertador, que entenda que zelo é importante, mas não dá certo quando um se entende dono do outro, que tenha noção de que amor não se acaba com erros, mas com ausência de coragem de corrigi-los.

    Mereço alguém que entenda que cumplicidade, não está no quanto se dá certo na hora da transa, mas no quanto podemos confiar um no outro. Alguém que justifique seus atrasos, ainda que seja em função de ter ficado um pouco mais  após a pelada com os amigos, alguém que não pire com minhas crises de ansiedade, que entenda que minhas insônias virão acompanhadas de horas em frente a TV ou escrevendo. 
  
Alguém que me dê livros e não buquê de flores, mereço alguém que entenda que as vezes será preciso que ele me tire da cama e me leve de volta ao mundo e aos amigos, que entenda que odeio acordar cedo, que vou funcionar apenas horas depois de acordar, que sempre gosto de chá com duas colheres de açúcar e que o cheiro do café me embrulha o estômago, alguém que entenda que preciso de abraço, mas que respeite o fato de que nem sempre estarei receptiva a eles, que saiba que também preciso me isolar na caverna, mas nem sempre terei tempo suficiente para chegar nela, eu mereço alguém que entenda que estaremos propicio a nos ferirmos, mas feridas merecem tratamento e não esquecimento.

  Mereço alguém que entenda que vou conferir se tranquei a porta, desliguei o fogo, mas que também sou distraída e posso esquecer de os fazer, que entenda meus surtos de preocupações, e mania de perfeccionismo daqueles que guarda os copos por tamanhos, cores e detalhes, que me lembre de não me exigir demais, de afrouxar a mão da garganta e respirar. 

  Mereço alguém que compartilhe comigo seu dia, não só quando ele precisar de ombro amigo, e esteja certo que sou companheira de vida e não psicóloga de plantão! Alguém que queira ficar, e me faça entender que posso até ser o porto seguro de várias pessoas , mas que também tenho um porto pra me desarmar, quebrar e ter medo, que não preciso ser sempre forte...

   Preciso, quero e sei que mereço alguém some e não suma, que fique, sem eu ter que pedir e não desapareça, que sorria se eu disser bobagem, e me faça rir sem me preocupar.
Quero de novo alguém cujo sorriso me faça esquecer dos problemas, que me faça ter vontade de voltar pra casa feliz, mesmo que o dia tenha sido uma droga, consciente de que terei, colo, afago, e sexo também seja ele tímido ou sem pudor...

   Mereço alguém que me dê mais certezas que perguntas, que não espalhe roupas pela casa, a não ser que as minhas também estejam juntas, e que me faça sorrir ao recordar- me bem detalhadamente do motivo que as fizeram estar ali quando eu for recolhe-las, mereço alguém que adie a hora de ir e prolongue a de ficar, que fique, hoje, agora e amanhã depois que a saudade passar,  que me procure sem medo, fora de hora e de lugar... Que fique ao meu lado, mesmo se eu mandar ele ir pastar...

   Mereço alguém que me mande bilhetinhos ousados no trabalho, que deixe o vinho preparado.... que não desista de mim, mas me mostre que sou realmente, importante e necessária.... Sendo assim aceito uma flor pra me lembrar do nosso cuidado e entrega...

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Casa vazia, coração também...

Como se livrar dos hábitos com os quais já estávamos acostumados? Meus dias tem sido marcado por perdas,  de pessoas importantes e essenciais, sim perdas eternas que me mudam e irão me mudar cada vez e sempre que me recordar delas. Perdas por mortes físicas e de sentimentos também, essas  perdas deixaram minhas casas vazios... Vi meu irmão ir embora cedo demais, vi suas coisas adquiridas ao longo de 22 anos se encaixarem perfeitamente em 3 caixas de papelão, e causarem em minha vida e peito um buraco grande demais para ser preenchido por coisa alguma neste mundo, domingo, vi a casa que cresci,corri e fui amada de fato, se tornar vazia, quando minha vozinha amada foi vencida por um câncer, a guerreira, se abateu, e partiu... Serenamente partiu, como se tivesse em si a certeza de que todos se ajeitariam, a casa que cheirava chá de canela e pão com manteiga na minha infância hoje já não tem mais brilho só lembrança. A risada gostosa jamais será ouvida, e peço a Deus que não se apague da minha memória.
Dona Valdomira a guerreira, terminou a corrida,guardou a fé e partiu, 72 anos, 3 filhos, 6 netos e 5 bisnetos, dentre esses netos eu... A fisicamente distante, mas de coração ligado, a sucessora do legado de ser forte, ter medo, se arrastar mas nunca parar, a fisicamente parecida, e que honra vozinha amada ter seu sangue, sua cor sua cara, que honra ter te feito sorrir, pouco antes de partir... Dona Valdomira de quem herdei a mania de preferir dormir no sofá que na cama, vó, vozinha, preta assanhada, preta forrozeira, veia e sobretudo minha....
 Sim houve partidas de pessoas que só foram embora, sem muita explicação, pessoas que ainda verei, com quem ainda trocarei palavras.... Pessoas que.... Em seu princípio da tinha sinais claros e visíveis do fim...

Meu coração está vazio, e cansado de ouvir que tudo vai ficar bem... Cansado de pensar na próxima vítima, meu coração ta vazio de suas raízes e bases sempre tão fracas, vazio de sorriso, vazio....
Seria egoísmo tentar manter quem já cumpriu sua missão, mas se temos a certeza do fim, porque doí tanto o momento de lutarmos com eles? Sei que o amor não tem fim, mas como continuar alimentando o amor com as lembranças que restaram? Como lidar com o amor em lembranças, se a memória falha? 
Meu coração ta vazio, meu sorriso vazio, meus pequenos olhos também, mas seria injusto achar que a vida mais tira de nós do que ela mesmo acrescenta? Seria em todo errado, desejar motivos pra sorrir, razões pra seguir, e propósitos para gostar de casa vazia?
Mundo louco onde pouco vem e muito vai, loucura essa de perder a identidade com os amados que se vão, alguém me explica a sensação de parte da nossa história ser enterrada com os amores que a morte nos toma...
Mas sigo agora, mesmo de casa e coração vazios, sigo na esperança de ter algo bom me acrescentado, sigo tentando acrescentar a quem fica o meu melhor,enquanto espero minha hora de partir, com um certo receio de amar, mas tentando não deixar estes receios me impedir de amar mesmo, e apesar da possibilidade certa do partir.