Casa vazia, coração também...

Como se livrar dos hábitos com os quais já estávamos acostumados? Meus dias tem sido marcado por perdas,  de pessoas importantes e essenciais, sim perdas eternas que me mudam e irão me mudar cada vez e sempre que me recordar delas. Perdas por mortes físicas e de sentimentos também, essas  perdas deixaram minhas casas vazios... Vi meu irmão ir embora cedo demais, vi suas coisas adquiridas ao longo de 22 anos se encaixarem perfeitamente em 3 caixas de papelão, e causarem em minha vida e peito um buraco grande demais para ser preenchido por coisa alguma neste mundo, domingo, vi a casa que cresci,corri e fui amada de fato, se tornar vazia, quando minha vozinha amada foi vencida por um câncer, a guerreira, se abateu, e partiu... Serenamente partiu, como se tivesse em si a certeza de que todos se ajeitariam, a casa que cheirava chá de canela e pão com manteiga na minha infância hoje já não tem mais brilho só lembrança. A risada gostosa jamais será ouvida, e peço a Deus que não se apague da minha memória.
Dona Valdomira a guerreira, terminou a corrida,guardou a fé e partiu, 72 anos, 3 filhos, 6 netos e 5 bisnetos, dentre esses netos eu... A fisicamente distante, mas de coração ligado, a sucessora do legado de ser forte, ter medo, se arrastar mas nunca parar, a fisicamente parecida, e que honra vozinha amada ter seu sangue, sua cor sua cara, que honra ter te feito sorrir, pouco antes de partir... Dona Valdomira de quem herdei a mania de preferir dormir no sofá que na cama, vó, vozinha, preta assanhada, preta forrozeira, veia e sobretudo minha....
 Sim houve partidas de pessoas que só foram embora, sem muita explicação, pessoas que ainda verei, com quem ainda trocarei palavras.... Pessoas que.... Em seu princípio da tinha sinais claros e visíveis do fim...

Meu coração está vazio, e cansado de ouvir que tudo vai ficar bem... Cansado de pensar na próxima vítima, meu coração ta vazio de suas raízes e bases sempre tão fracas, vazio de sorriso, vazio....
Seria egoísmo tentar manter quem já cumpriu sua missão, mas se temos a certeza do fim, porque doí tanto o momento de lutarmos com eles? Sei que o amor não tem fim, mas como continuar alimentando o amor com as lembranças que restaram? Como lidar com o amor em lembranças, se a memória falha? 
Meu coração ta vazio, meu sorriso vazio, meus pequenos olhos também, mas seria injusto achar que a vida mais tira de nós do que ela mesmo acrescenta? Seria em todo errado, desejar motivos pra sorrir, razões pra seguir, e propósitos para gostar de casa vazia?
Mundo louco onde pouco vem e muito vai, loucura essa de perder a identidade com os amados que se vão, alguém me explica a sensação de parte da nossa história ser enterrada com os amores que a morte nos toma...
Mas sigo agora, mesmo de casa e coração vazios, sigo na esperança de ter algo bom me acrescentado, sigo tentando acrescentar a quem fica o meu melhor,enquanto espero minha hora de partir, com um certo receio de amar, mas tentando não deixar estes receios me impedir de amar mesmo, e apesar da possibilidade certa do partir.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CARTA PARA MINHA AMIGA

Preciso e mereço alguém que some e não suma