Um encontro....

Hoje me encontrei com uma criança, pequena e sensível ao amor do Pai. Sentir o toque de amor do SEU PAI e chorar era tão fácil para ela, se entregar aos cuidados de seu pai era tão simples, ouvi-lo e obedecê-lo, eram tudo que ela amava fazer, simplesmente se sentia filha e amava esta sensação, sua fragilidade, inocência e dependência  agradavam o coração do seu Pai, Ele se orgulhava dela de tal modo e tamanho que a chamava de “ Flor do meu Jardim secreto, Menina dos meus olhos, e Minha Princesinha”...

 Essa Criança todos os dias se encontrava com seu pai, e ouvia as suas histórias Ele lhe contava de um amor, tão puro nobre e incondicional, de um amor que estava disposto a morrer para que sua pequena filha ficasse vida. Mas crianças crescem e se encantam com o mundo e tudo que nele há, se apaixonam e diariamente tendem a acreditar que os cuidados paternos são uma coisa careta, tende a se afastar, o mundo, as paixões, o crescimento, os prazeres da vida adulta são atrativos e tornam crianças sensíveis em adolescentes frustrados e rebeldes e logo adultos distantes e altivos que se julgam capazes de cuidarem de si...

     A criança com a qual me encontrei hoje é uma adulta que passou por coisas que a fizeram amadurecer rápido demais e levaram sai sensibilidade e trouxe a dor, e o coração que antes era obediente e doce hoje é grosseiro, assustado e um tanto quanto insensível. Na tentativa de crescer esta criança se apaixonou por um príncipe de olhos de mel, mas o viu partir rápido demais sem dar a chance de ela encontrar meios de amenizar a dor e a falta ou pelo menos que conviver com elas, tentou confiar em “amigas”, e viu as mesmas lhe darem as costas o que apenas aumentou sua dureza de coração tornando a agora quase inquebrantável. Cansada, amedrontada, ferida e dura ela ouviu uma canção que falava de um amor, aquele mesmo que seu Pai havia lhe contado ao longo de sua infância, então sentiu saudades dos abraços, do colo e de seu próprio pai.... Então voltou e foi acolhida com amor sem igual...

    Ao me encontrar com esta, mulher menina notei que nos perdemos com o passar do tempo, o primeiro amor vai se esfriando, a vontade de ser e estar com seu o Pai vai sendo facilmente substituída por paixões, tornamo-nos pedras, não que passamos a duvidar, apenas não nos rendemos, apenas não somos mais as crianças de anos antes... A dor, as pessoas, as circunstancias mudam nossa sensibilidade, mas não nossa identidade de filhos.

    Ao me encontrar com esta menina já tão mulher, com suas dores e medos, erros e acertos, fortalezas sendo novamente tratadas para que não seja apenas mais uma filha que se afasta e volta arrependida, mas que se torne flecha, polida, afiada e preciosa que após o tratamento especial na aljava alcance o alvo. 

      Pude entender que o Pai dele sempre a amou e esperou, estava lá quando a dor era insuportável, deu um novo coração quando o que ela tinha começou a apresentar falhas, chamou a atenção, corrigiu, e colocou em seus dedos um anel que a tornava filha prometida, uma sandália para que seus pés não sejam tão feridos... E voltou a vivificá-la, a quebrantá-la, é fato que ela jamais voltará a ser como antes, pois ela pode ser melhor, a dor tem isto de nos melhorar, pois crescemos com ela se quisermos como também podemos evitar que ela nos afaste...

Esta criança sou eu, que antes perdida em meu egoísmo, paixões, vontades próprias e feridas.... Foi fácil esquecer quem eu era e tem sido difícil voltar a parecer com quem já fui. Este Pai também é conhecido como Deus que nunca deixou que perdesse minha identidade de filha quando já me esquecia de quem eu era... 

Nossas escolhas erradas mudam nossa vida, tira tudo do ligar, mas a simples escolha de ser filha nos torna capazes de recomeçar sabendo que existe um alvo e que chegaremos lá se desejarmos estar lá... Precisamos querer ser filhos, querer a cura. Pai sempre será Pai e não nos deixará por nossas escolhas erradas, e nunca, nunca mesmo será tarde para voltarmos, nos quebramos a aliança que temos com Ele. 

Mas Ele nunca quebrará a que tem conosco. Sempre haverá uma canção de amor para te fazer voltar, sempre haverá uma lembrança e está musica esta lembrança, esta falta sempre será o PAI te mostrando que Filhos sempre serão crianças, crescer não é errado se você permitir que nele permaneça a inocência de filho.... Volte ao primeiro amor, descubra do que você sente falta, o que mudou você ainda ama seu Pai como era na Época que era pequena, e fácil de quebrantar?

Comentários

  1. Sempre mim surpreende com suas palavras amo essa verdade que vem dela essa sinceridade que a faz ser diferente realmente alguém que se deixa ser moldada pelo Deus altíssimo e a cada dia se torna um vaso cada dia mais linda e apaixonada por Cristo.Lindona Deus te abençoe tremendamente mais e mais.

    ResponderExcluir
  2. olaaaaaaaaaaa.
    obrigada por ler, e desejo sinceramente que minhas palavras sempre falem ao teu coração

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada por ler, Deus te abençoe grandemente

Postagens mais visitadas deste blog

Aprendendo com o Isaque, que daqui só se leva o amor...

CARTA PARA MINHA AMIGA

o Isaque nasceu!